quem

​

Background - O Bob - produto da classe média/média-alta - viveu na Argentina, Brasil, Venezuela e nos Estados Unidos. Frequentou escolas “normais”, cursou 4 anos na academia militar e na Universidade de Arizona, passando por vários caminhos e faculdades porque não sabia em que se especializar. Apesar de ter acumulado um monte de créditos, no fim dedicou mais tempo à literatura neolatina, mas não chegou a se graduar por não concordar com o currículo. Também foi professor na universidade e treinador do programa Peace Corps.

​

Trabalho jovem - Desde os 10 anos de idade, o Bob sempre trabalhou nas férias como assistente de motorista de caminhão, assistente químico, carregador de malas da Braniff, no aeroporto de Congonhas (depois em reservas), assistente de engenheiro... e quando estava na universidade em Tucson, trabalhou como pizzaiolo, gerente de salão de bilhar. Fez de tudo um pouco. Ah, e também trabalhou num cargueiro sueco como cozinheiro, além de garçom e camareiro dos oficiais.

​

Trabalho adulto - Quando voltou para São Paulo depois da universidade, Bob trabalhou em agências de publicidade (Almap, J.Ribeiro Mihanovich, Young & Rubicam e um breve sabático na Leo Burnett) como criativo, produtor de rádio e TV, planejamento estratégico holístico, consumer insights e atendimento. Nos 25 anos que trabalhou na Y&R, Bob começou no atendimento, chegando a ser gerente geral do Brasil, diretor geral da Venezuela e diretor regional para a América Latina.

​

Marketing & Passion - Em 1996, o Bob decidiu abrir a Marketing & Passion e tem trabalhado com muitos clientes na América Latina, no Caribe e na Europa (occidental, central y oriental).

​

Família - Ele e sua esposa, Cly - bailarina aposentada (se bem que o espírito jamais se aposenta) - vivem em Doral, Florida. Têm 2 filhos, o Bob (Jr), que é diretor de arte sênior e vive em São Paulo com seu filho Mark. E o Kleever, que é músico, curte cavalos e vive em Botucatu com a sua esposa Jô e sua filha María João. Ele a Jô têm dois restaurantes.

​

Ufa! Tudo isso para dizer que o Bob é um homem sensível, curioso, eclético, “rodado” e que trabalha com paixão.

​

E o trem? Uma paixão herdada do seu avô, um jornalista que passou a vida viajando e escrevendo sobre trens e as ferroviárias. Durante muito tempo viajou por todo os Estados Unidos com o famoso circo Ringling Bros: Barnum & Bailey, no próprio trem do circo. Por muitos anos, o Ringling Bros foi considerado “O Maior Espetáculo da Terra”. Anos depois, os diretores da ferrovia L&N deram um caboose (antigamente usado como o último vagão dos trens de carga) para o avô do Bob. Ele, então, estacionou o caboose no jardim da sua casa e o transformou em um escritório. Seu lugar predileto para escrever suas colunas. Sempre que visitava seus avôs, o Bob ficava hospedado no caboose.

​

O Bob sonha em ter seu escritório no seu próprio caboose.